Banner 1 728x90

PF apura se grupo ligado a Bolsonaro negociou mais uma joia nos Estados Unidos

.

Por G1 em 11/06/2024 às 14:34:57
Existência de novo item foi confirmada pelo diretor-geral da Polícia Federal, Andrei Rodrigues. Joia foi descoberta durante apuração feita pela PF em solo norte-americano. Andrei Rodrigues, diretor-geral da Polícia Federal

Joana Caldas/g1

O diretor-geral da Polícia Federal, Andrei Rodrigues, confirmou nesta terça-feira (11) a descoberta de mais uma joia e apura se o item foi negociado pelo grupo ligado ao ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) nos Estados Unidos.

A informação de que a PF havia descoberto a existência dessa peça foi divulgada pelo jornal "O Globo".

A descoberta da joia ocorreu durante uma apuração feita por uma equipe da PF nos Estados Unidos. A ação foi realizada em parceria com o FBI. Os investigadores apuram se o item foi desviado do acervo da Presidência da República e comercializado em solo norte-americano por aliados de Bolsonaro.

Em conversa com jornalistas nesta terça, Andrei Rodrigues não deu detalhes sobre de qual joia se trata, nem valores. Também não esclareceu se o item foi recuperado ou não.

De acordo com o diretor-geral da PF, o inquérito das joias, que apura a possível prática de peculato (desvio de dinheiro público) por parte de agentes da gestão Bolsonaro, deve ser concluído ainda neste mês de junho.

À imprensa, Andrei Rodrigues afirmou que a descoberta dessa nova joia é importante para as investigações sobre o grupo de Bolsonaro.

"Houve um encontro de um novo bem vendido ou tentado ser vendido no exterior. Tecnicamente tem o poder de robustecer a investigação que tem sido feita. Desde a apreensão no aeroporto, até hoje. Expectativa é concluir em junho [o inquérito da joia]", declarou.

Inquérito das joias

PF vai aos EUA investigar joias vendidas ilegalmente por Bolsonaro

A investigação apura se Bolsonaro e seu entorno se apropriaram indevidamente de joias milionárias dadas de presente a ele quando era presidente do Brasil.

Investigações da PF mostram que os itens começaram a ser negociados nos EUA em junho de 2022.

Entre as peças, estava um kit de joias composto por um relógio da marca Rolex de ouro branco, um anel, abotoaduras e um rosário islâmico entregue a Bolsonaro em uma viagem oficial à Arábia Saudita em outubro de 2019.
Comunicar erro

ComentĂĄrios