Banner 1 728x90

Em viagem à África, Lula e Wellington Dias vão tratar da criação da Aliança Global contra a Fome e a Pobreza

Em sua primeira viagem internacional em 2024, o presidente Lula, acompanhado do seu ministro do Desenvolvimento Social, Wellington Dias, vai aproveitar a reunião da cúpula de países africanos para obter apoios para sua proposta de criar uma Aliança Global contra a Fome e a Pobreza no âmbito da ONU.

Por G1 em 13/02/2024 às 09:38:28
Foto: Reprodução internet

Foto: Reprodução internet

Em sua primeira viagem internacional em 2024, o presidente Lula, acompanhado do seu ministro do Desenvolvimento Social, Wellington Dias, vai aproveitar a reunião da cúpula de países africanos para obter apoios para sua proposta de criar uma Aliança Global contra a Fome e a Pobreza no âmbito da ONU.

Lançada por Lula em reunião do G20, a ideia é criar uma força-tarefa específica do G20 para adotar medidas emergenciais contra a fome e a pobreza no mundo, principalmente em países africanos. O Brasil está no comando rotativo do G20 até novembro.

Lula embarca nesta terça-feira (13) para uma visita ao Egito e à Etiópia. Neste segundo país, o presidente participa, como convidado, da 37ª Cúpula de Chefes de Estado e de Governo da União Africana, entidade que reúne as 55 nações da África.

Wellington Dias vai direto para a Etiópia, com agenda de trabalho na sexta-feira (16) e no sábado (17). Ele é o ministro encarregado por Lula de comandar as conversas para implantação da aliança global.

Na cúpula africana, Dias vai mostrar a proposta de funcionamento da aliança global, com medidas práticas e modelos de combate à pobreza a partir de iniciativas já testadas com sucesso, como o Bolsa Família no Brasil.

Dias disse ao blog que o Banco Mundial estima que são necessários US$ 50 bilhões por ano para bancar a força-tarefa mundial da aliança global. Segundo o ministro, 60 países têm condições de contribuir, o Brasil entre eles. Já os países que receberiam os recursos são calculados entre 100 e 120 nações.

A mobilização visa reduzir o atual cenário global no qual 750 milhões de pessoas passam fome e 2,4 bilhões vivem em situação de insegurança alimentar moderada ou grave.

Segundo Dias, Lula vai aproveitar que o Brasil a presidência do G20 para pactuar a criação da aliança global. "Este é um momento que dá ao Brasil a oportunidade de insistir na sua agenda de acabar com a fome não só no Brasil, mas também no mundo, buscando acelerar os esforços para atingir as medias dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável definidos pela ONU".

"Temos de aliar medidas de combate à fome e aos crimes ambientais, essa é uma receita para o Brasil e para o mundo", acrescentou o ministro.

Lula e Dias querem concretizar a aliança global dentro do G20 até novembro deste ano, durante a cúpula da entidade que reúne os países mais desenvolvidos e ricos do mundo. A cúpula vai se reunir no Rio de Janeiro e a aliança global será negociada ao longo do ano nas reuniões paralelas do G20.
Comunicar erro

Comentários